Pelos próximos dois anos, a Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Passo Fundo será comandada por uma nova Diretoria Executiva. Os representantes foram escolhidos durante votação, realizada no início deste mês, na sede da entidade. Desde o dia 06, o presidente da Associação é o engenheiro civil, Ubiratan Oro. Também foram eleitos o engenheiro eletricista, Giovani Soares, como vice-presidente; o engenheiro civil, Antônio Thomé, como tesoureiro; e a engenheira civil, Luciana da Silva, como secretária da Associação. Oro, que já esteve na presidência da Associação entre 2010 e 2013, ressalta os desafios da gestão. “Ao longo dos mais de quarenta anos de existência da AEAPF, o empenho permanente de todas as administrações foi o de trazer o maior número de profissionais engenheiros e arquitetos para o quadro da Associação. Esse desafio permanece e será, sem dúvida, a prioridade da ação do grupo diretivo que agora assume a gestão”, comentou.

O presidente ainda ressalta que serão permanentes as ações na busca da representação positiva deste segmento de atividade profissional junto à sociedade. “Estaremos buscando contribuir junto ao CREA/RS e ao Colégio de Entidades do Sistema Confea-CREA, para a consolidação do 'projeto de formação continuada', para os profissionais das engenharias e que está em início de estruturação no Conselho”, ressaltou.

Os nomes da Diretoria Executiva foram escolhidos entre os nove conselheiros, eleitos em Assembleia Geral Ordinária da AEAPF, realizada no dia 24 de abril. Os conselheiros permanecem no cargo pelo período de quatro anos, enquanto a diretoria é novamente eleita a cada dois anos. Os conselheiros são: Moacir Kripka, Luciana da Silva, Eduardo Basso, Thiago Miranda, Ubiratan Oro, Antônio Thomé, Verno Swarowski e Plínio Donassolo.

Atualmente, o quadro de sócios da AEAPF é composto por mais de 200 profissionais das diversas áreas das Engenharias e da Arquitetura. A Associação proporciona aos seus membros o aperfeiçoamento profissional através de cursos, palestras, viagens, feiras, visitas a indústrias e, ainda, disponibiliza convênios com descontos em diferentes empresas de produtos e serviços da cidade. “A atividade dos profissionais da área tecnológica interfere na formação de mais de dois terços de toda a riqueza do país. É crucial que ela tenha representação junto à sociedade organizada o que se materializa, entre outras formas, através de Associações , como é o caso da AEAPF. Essa representação dá voz a esse conjunto de profissionais nas diversas instâncias da administração pública e junto à sociedade. Daí, a necessidade da participação dos profissionais da área tecnológica, na sua associação profissional, compondo essa 'voz' em defesa das suas posições frente às demandas técnicas e na busca dos seus legítimos interesses corporativos”, declara o presidente.